Gostava que soubesses...


...quantas batidas o coração estremece de cada vez que o meu olhar repousa em ti. De como ele se enternece, caprichando no veludo da voz e na seda das feições, no vigor dos gestos e na virilidade das ideias. 
...o quão profundo pode ser cada suspiro de cada vez que me vens caminhando sobre aquele que guardo dentro da pele. Do quanto ele se perde de procurar o ar que me dá vida, encontrado que está na busca de te descobrir.
...que faço confusão a mim mesmo e que de cada vez que tropeço nas letras e caio nas palavras, só recupero a frase porque ouvi dizer que este pode ser um mundo de segundas e terceiras oportunidades. Dizem também que algumas só aparecem uma vez na vida. É aí que me pergunto, se me aparecerás de novo mais tarde? Se terás outro nome e outro rosto diferente? 
...que depois não me inibo de passar a mão pelo vidro ressoado de gotículas coloridas que me nublam a visão num nevoeiro do ser. Que acredito em sorrisos, nas fadas e nos seus contos. Que por isso não me inibo de trespassar esse vidro e toda uma parede que te sustenta para ser, na tua boca, um qualquer alguém que um dia conheceste. Na minha boca, o fantasma que te escondeu no armário. No teu pensamento, o sabor que nunca provaste. Será que percebes que foi aqui que te deixei?

2 comentários:

pinguim disse...

Tens o dom da palavra...
Através dela, transmites sentimentos, afectos e estados de alma.
Para complemento, uma bela foto.

mfc disse...

É tão lindo estar-se apaixonado!
Um abraço.