"E eu?"

"A reconciliação de Rihanna com Chris Brown não está a ser bem aceite: depois de o rapper ter pedido desculpas pela agressão à cantora, esta depara-se com a resistência da família e dos fãs. [...] Os fãs dizem que Rihanna é "estúpida" e "um péssimo exemplo para as mulheres"."
Notícias TV, nº 60, de 6 a 12 de Março de 2009. pág. 85


"Seja no Congo ou entre celebridades, a violência doméstica é uma doença social que não faz discriminações."
Jessica Alba, NS', nº 165, de 7 a 13 de Março de 2008, pág. 15



Revoltante. É esta a melhor palavra que encontro para descrever o flagelo que é a violência doméstica. O que aconteceu entre Rihanna e Chris Brown não é novidade, embora os média tentem veicular tal sensação. Lembrem-se de Whitney Houston ou de R. Kelly. Muito menos é inesperado: a violência doméstica, por definição e pura ironia, não discrimina nada nem ninguém, é dos fenómenos mais universais que se pode verificar... O único senão aqui, e que deve estar a ferir o orgulho machista de muitos, é que, desta feita, era a parte agredida a mais famosa, a mais poderosa, a mais carismática. Se fosse o inverso, o caso ecoaria pelo silêncio da corrupção e tráfico de influências até que a sua propagação chegasse a um vazio inaudível. De resto, algo ainda menos novo... De minha parte, resta-me salientar linhas óbvias: o que aconteceu é deplorável, vergonhoso e reprovável a todos os pontos. A quem sofre: esqueçam as mentiras do silêncio, não adiem a felicidade nem se acomodem ao medo. Ajam e lutem: o universo vive de movimento e nenhum de nós vive de paragens sôfregas. Mais: a vossa atitude pode ter efeitos colaterais, pode inspirar e ajudar. Permitam-se a esquecer qualquer instituição social criada, qualquer julgamento por parte da sociedade, permitam-se a esquecer a outra parte, nem que seja por breves momentos, e perguntem-se: "E eu? É isto que eu quero? É isto de que preciso?". Antevejam o amanhã e respondam. Vejam o hoje e ajam. Acreditem em vocês e vençam, que eu escrevo por experiência...

"It isn't right to stay together when we only bring each other pain."
"I don't wanna cry" - Mariah Carey

"I'm gonna smile because I deserve too."
"Better in time - Leona Lewis

11 comentários:

Fernanda! disse...

È revoltante ver que nada muda em relação a isso, a agressão contra a mulher...

Lamentavel...Simplesmente lamentavel.


Bjos moço!

Alguém disse...

"o que aconteceu é deplorável, vergonhoso e deplorável a todos os pontos." : Apoiadíssimo!

Eu acho que, por muito que gostem deles, estas mulheres devem-se impor. O mal é delas se se quiserem sujeitar a mais possíveis maus-tratos.

beijinho

Shakti disse...

E todas aquelas anónimas que todos os dias são vitimas de violência doméstica...

bj

Precious disse...

se desculpa uma vez, está presa pra sempre ! :/ *

Salto-Alto disse...

Eu concordo plenamente com tudo o que disseste. Não consigo imaginar sequer o que se passará na cabeça dela.

Eu acho que não perdoava. Agora é fácil separar-se dele, acabar com a violência. Mas se perdoa agora e tudo se mantém, como será quando existirem filhos? Que exemplo lhes darão se o pai agredir a mãe?

(já respondi na sondagem acima, hehe! ;p)


Beijocas!

Anjo De Cor disse...

Triste nos dias de hoje ... e incompreensível ...

Bjs**

im disse...

Esta é uma atitude que não consigo compreender, que não quero e não posso compreender...é incompreensivel perdoar quem nos trata mal...por respeito a nós mesmos...

beijos

VeR disse...

É de facto revoltante quem escreve em base do que lê nos sites mais comerciais... se bem me lembro para uma pessoa que nem gostava de nada comercial... enfim é de facto revoltante, pois infelizmente a violência doméstica acontece, mas não só às mulheres, depois ninguém sabe o que aconteceu naquela noite. A versão mais sólida, comprovada e menos falada, e leva à justificação de Chris Borwn alegar legítima defesa, pois Rihanna terá agredido antes o cantor e lido mensagens estranhas doutras mulheres. Só para que fique claro que Rihanna tentou defender-se, não é nenhuma fraca! E mais revoltante é usar casos e fotos, para tratar este tipo de assuntos. Porque não por uma da Whitney Houston? Com tanta superficialidade tinha encontrado de certeza. Uma das coisas que vai pensar quando ler o comentário é que é conversa de fã. Pois sim eu sou fã e muito mesmo, pois considero me fã completo já tive ao pé dela, quando não gosto do trabalho dela assumo, e mesmo não a conhecendo muito bem irei sempre apoiar qualquer decisão que a rapariga tome. Portanto é a minha opinião, quase todo o post e "reprovável" e "revoltante".

PS: Ela não casou ainda, nem esteve com ele, está em estúdio a gravar o seu 4º álbum que vai ser ainda melhor que o último.

RIHANNA!

VeR disse...

Quanto aos Grammys, nem vou comentar. E quanto ao não ter abordado mais, eu tenho vida escolar ainda, tenho o meu curso que me leva muito tempo, família, namorada, etc. Não tenho tempo para ir para o karaoke aos sábados, digamos que não tenho nem paciência nem jeito.
A atitude de colocar a foto da agressão é no mínimo, de quem quer "vender" a sua ideia (mas a avaliar não dá muito resultado). E desrespeitador, pois essa foto foi publicada sem autorização policial e sem autorização da cantora. Mas quase tinha a certeza que irias tocar no assunto, pois não vinha ao blogue há muito tempo, e até parece que me cheirou. Eu sei isso tudo, aliás a Leona já fez um desmentido, e alegou não ter nada com o caso, quanto à gravidez, foi apenas um dos milhares de rumores (lá está tanto que sabes que ficas te com a informação mais comercial). Quanto não gostares de música comercial, não estou a ver onde a Mariah se enquadra...até porque ela é considerada, quem descobriu o contemporary R&B (mistura de pop enjoativo com R&B, que a billboard já considerou errado).
Eu não sou cego, sei ver quando a Rihanna pode estar errada, não vou é apontar o dedo, as decisões são dela e apoiarei e compreenderei sempre.
Problema? Ninguém me critica por isso, não baixa o meu rendimento escolar, nem relações sociais. Só tu vês um problema em defender aquela que eu acho e que é e sempre será a melhor cantora do mundo.

limitado como tantos outros disse...

E com enorme tristeza que aqui escrevo...

Pois nao sou pessoa de fazer comentarios á vida dos outros...

É tristemente que aqui escrevo, e que ainda no séc.21 possamos assistir a noticias destas...

o rosto de uma jovem linda retirado pelas maos de um qualquer "limitado" cantor...

É apenas mais uma das tantas provas que vem aprovar mais uma das minhas "teorias"... nao que seja filosofo ou que seja escritor... nada disso, sou apenas um "limitado" de 17 anos... e quando digo "limitado" falo no que escondido esta por traz desta palavra...


ora vejamos... existem actualmente "limitados" de todo o tipo...

-"limitados" de ideias;
-"limitados" de palavras;
-"limitados" de gestos;
- ETC... ETC... ETC...

Afinal de contas os poucos "limitados" que existem sao todos aqueles a que a vida tirou alguma funçao no corpo e que mesmo assim continuao CÁ...

Porque todos nos "limitados" temos 2 braços, 2 pernas, e tudo o resto e que fazemos com eles? DESTRUIMOS...

vejamos tambem o quanto sou "limitado" que apenas neste pequeno comentario todas as palavras que estao mal escritas...

pois bem... mais uma vez a minha funçao de limitado neste mundo "obriga-me" a pedir desculpas por todos os erros ou pelas minhas "limitadas" palavras...

um abraço deste "limitado"

Anônimo disse...

hoje paro a leitura por aqui..
e só quero deixar um comentário.. parece tão fácil falar quer criticando, quer defendendo as partes envolvidas, quer fazendo suposições quanto ao que realmente aconteceu ou quem começou..
mas nesta tua notícia apenas vejo uma coisa, a cara de uma mulher agredida, não as palavras que se escrevem..
e sejam quais for as circunstâncias que envolveram a agressão cujos contornos desconheço, posso testemunhar por já ter sido por diversas vezes agredida, que imagino bem a quantidade de murros ou pontapés que ela levou para ficar com a cara assim..
e há tantas considerações sobre o uso de força excessiva, desde os tempos clássicos, nas próprias religiões, e principalmente em direito..
e quem fala em de legitima defesa, devia ler primeiro sobre o conceito jurídico que baliza o uso da força defensora à proporção da força agressora.. aliás também um conceito da física.. ou podemos falar agora de danos colaterais.. errou a pontaria?
assino como anónima pelas mais evidentes razões