Outro




Esta noite não foste quem eu esperava. Nem tampouco chegas-te a lembrar a silhueta de quem me deixara naquela noite para me prometer mundos de luz. Esta noite foste alguém que não esperava. Foste mais fraco, mais inquieto nos gestos, mais inseguro nos passos. E bem sei que através da água que te molhara a visão me viste sair, desaparecer por entre a poeira de quem desespera por alguém que nunca o foi. Não sabes porque parti, não sabes porque desapareci e ainda pensas que fujo de ti. É então que, sem deitares os pensamentos nestas linhas, te desencontras da realidade: quem se engana, engana-se a si mesmo. Só me encontrarás quando emergires de novo a ti e respirares aquele ar que tanto me apaixonara. Até lá, eu sou outro. Outro que conheces mas que te desconhece.

Adeus*

3 comentários:

pinguim disse...

Ok, finalmente consegui aceder ao teu blog e cá estarei para te seguir.
Abraço.

Nelson Soares disse...

Obrigado João! Acredita que há muita gratidão deste lado=)



Stay Well

K. disse...

Eu também andava com problemas em vir cá, mas parece que isso está ultrapassado ;)