A demanda do ser





"Dear Mr. President,

Come take a walk with me.
I'd like to ask you some questions if we can speak honestly.

What do you feel when you see all the homeless on the street?

Who do you pray for at night before you go to sleep?
What do you see when you look in the mirror?
Are you proud?

How do you sleep while the rest of us cry?

How do you dream when a mother has no chance to say goodbye?
How do you walk with your head held high?
Can you even look me in the eye
And tell me why?"
"Dear Mr President" by Pink

É na felicidade que se esgota a demanda do ser. A liberdade é um direito que assiste a todos tanto quanto a responsabilidade. Kadafi é o derradeiro ditador a provar o dissabor da revolta da sociedade civil quando esse caminho é manifestamente vetado. A loucura dos seus actos é mais um capítulo a estudar na velha lição da relação do homem com poder. Propaganda? É muito mais do que isso...
Para mim, o regime Líbio já caiu há algum tempo. E o mesmo se aplica aos demais regimes que,um por um, foram ruindo nesse vento democrático que varreu o norte africano. A causa dos revoltosos é a minha também, independentemente do país onde vivo, do dinheiro que tenho, das crenças em que acredito, da cor que me pinta a pele ou de com quem me deito...

3 comentários:

mfc disse...

Concordo. Khadaffi é horroroso!
Agora façamos um pequeno exercício para saber onde vivemos: passa em slides todos aqueles que o abraçaram e lhe apertaram a mão!!
Serão melhores?!
Pois é nessa Europa que estamos metidos!

Cathy Oh disse...

Nélson :)

Aquele post sobre os seguidores era apenas um post para encher chouriços e cheio de ironia porque até nem tenho ido com muita frequência ao blog. :P

Esta questão da Líbia tem-me massacrado muito, ultimamente, parece que o mundo está a tentar renascer e a ganhar voz. Cada vez mais cresce a incerteza sobre o amanhã.

**

pinguim disse...

O problema é que além de ditador, é louco!