Cor-de-rosa II - A conversa


Como têm sido constantes - embora infelizes - as minhas ultimas tentativas para voltar a escrever... Por nenhuma outra razão senão a de uma vontade enorme de falar somente sobre algo e não se ser capaz, tal é a confusão que vai tomando conta da mente quando os assuntos do coração correm como o vento... E nestes assuntos, somos todos iguais: quando gostamos ou queremos gostar, complicamos e, invariavelmente, estragamos. Vou, portanto, tentar caminhar com simplicidade e tanta coerência quanto possível...
Acho-me numa fase estranha e nova. Deixei de idealizar o que quero e até mesmo o que quero querer. Agora como nunca antes, tomo as pessoas como elas são e deixo que me surpreendam, o que tem sido algo raro mas bastante agradável. E na prometida caminhada de me conhecer melhor, vou também conhecendo os outros melhor.
No entanto, há que pôr uma ênfase maior no elemento surpresa. Muitas vezes nunca tiramos um punhado de minutos do nosso tempo que seja para olhar para os que nos rodeiam de forma diferente. Ou de forma nenhuma: olhar somente. E foi uma história desse género que me aconteceu. Não, não me perdi de amores. Não, não tenho compromissos. O meu estado civil, embora banido dos novos cartões de identificação, ainda me convoca bastantes sorrisos. Mas gostei de saber que, afinal, no horizonte pode sempre haver algo de novo... Gostei de sentir a atenção, a preocupação e o interesse, numa conversa longa e sem grandes (nem pequenas) declarações mas com confissões comprometedoras, que nos mergulham naquela confusão afável de quem sente, no mínimo, carinho. O que quer que isto seja ou não, leve-me aonde levar ou deixando-me na mesma, "isto" fez-me sentir mais... vivo.
E embora escreva com a nítida sensação de que este será um texto cheio de lugares comuns e quase sempre incapaz de fazer jus ao sentimento que me tem preenchido, acredito na capacidade de cada leitor de o ser no seu todo: faça deste texto um texto seu e para si. Decerto fará mais sentido....


5 comentários:

continuando assim... disse...

convite para seguir a história de Alice, lá no
--- continuando assim... ---

bj
bom fim de semana
teresa

pinguim disse...

Que todos os textos cheios de lugares comuns fossem como este...tem todo o sentido!
Abraço.

Sofia disse...

Escolhi o teu blog como um dos que merecia receber o Prémio Dardos :) Se decidires aceitar o prémio tens q seguir apenas 3 regras. Passa pelo meu blog para saberes mais :)

Anjo De Cor disse...

Tens razão geralmente reagimos mal a mudança, mudança esta às vezes tão esperada... mas são estas coisas que nos fazem sentir vivo e motivado para seguir caminho... gostei muito que estejas de volta ;) e do novo visual do blog ;)
Bjs*

LP disse...

É claro que interpretamos sempre tudo consoante o que estamos a viver ou aquilo que já vivemos.

Somos seres humanos, e apesar de uns mínimos detalhes, acabamos sempre por sermos todos semelhantes e viver situações parecidas!

Beijinhos