Tão perto...

"He's never enough but still he's more than I can take"
Kelly Clarkson - Beautiful Disaster

Já não me lembrava da última vez. Abria o baú das memórias procurando no tempo sentimentos semelhantes. Semelhança só encontrei nas histórias porque é um brilho diferente, esse de cada paixão. Os nossos olhares já se tinham cruzado, no mesmo local e igualmente pela escuridão intrigante da noite. Noite criança, crianças parecíamos. Recruzavam-se os olhares a medo embora o coração estivesse cheio de intenção. Travava cada gesto meu ao latejar de feridas recentes. Porque embora queiramos virar páginas, nunca o conseguiremos fazer de verdade no nascer-do-sol seguinte. Cada tempo que é nosso leva o seu próprio tempo.
E foi por esse tempo, por todas as mudanças que vão tomando a minha vida e mudando os meus hábitos, mudando-me a mim, que subtilmente fui deixando cair a magia. E já que os meus pedidos não ganharam voz, deu-lhes agora forma: acredita na certeza de cada olhar sempre que te julgares enganado e o ressentimento de uma batalha perdida te bater à parta. Não o foi, talvez nunca o venha a ser... Não é este o tempo nem aquele era o local. O desapontar do teu rosto não foi superior à minha crença de não estar preparado para dar aquilo que mereces ou receber aquilo que não poderei tratar. E o amanhã pode ter tanto...
A noite foi passando e com isso chegou a altura da minha ida. E nem nessa ida me acompanhei de tristeza. Não saí em nuvens, mas toquei o céu.
Obrigado.


3 comentários:

Lize disse...

Texto lindo *.*
"Não é este o tempo nem aquele era o local."
E isto acontece tantas, demasiadas vezes.

Marilena' disse...

Lindo lindo +.+

pinguim disse...

Muito bom este texto; sente-se bem a tua extrema sensibilidade.
Parabéns.
Abraço.