Palavras para quê?



"No que diz respeito à adopção, a questão suscita-me algumas reservas. Não que ache que as pessoas homossexuais não sejam capazes de cuidar uma criança de maneira a que ela cresça saudável, biológica, psicológica e socialmente. As minhas reservas prendem-se mais com o que a sociedade fará a essas crianças... Ainda assim, considero que o rosto de uma família homossexual é preferível (e sem demérito) ao não-rosto das instituições em que muitas crianças crescem."

in here.

2 comentários:

Lua disse...

Aqui está!:)

Sinto-me mesmo lisonjeada, sabes? Obrigada!

(Corrige só a palavrinha "desmérito" entre parêntesis, sim? Escapou-se-me!:P)

Obrigada pelas visitas. Eu vou andar por aqui!;)

Ianita disse...

O amor é a melhor família. Não interessa quem são os pais, desde que amem a criança e a salvem de uma vida numa instituição... Digo eu.

Kiss